A história do azeite

As atividades da olivicultura são realizadas já há milhares de anos, muito antes dos primeiros testemunhos históricos.
O primeiro vestígio de olivais é anterior a 6.000 anos, no Oriente Médio, onde desde o início o azeite tinha numerosas utilizações, ntre as quais: unguento para a pele, óleo para lamparina, e também para uso terapêutico.
4000 A.C.
Nos registros de inventário dos antigos navios comerciais aparecem os primeiros testemunhos escritos sobre o azeite, que era transportado de um porto a outro no Mar Mediterrâneo.
2500 A.C.
O Código de Hamurabi da Babilônia disciplinou a produção e o comércio do azeite.
900 A.C.
O Império Romano expandiu a própria civilização em todo o sul da Europa, levando as oliveiras para todos os territórios conquistados. Os romanos, que consideravam o azeite uma mercadoria importante, contribuíram com numerosos aprimoramentos para a olivicultura e para a extração e conservação do azeite. Atribuíam tanto valor à mercadoria que até aceitavam azeite como meio de pagamento de impostos.
O declínio do Império Romano por volta de 500 d.C. levou a um recuo na olivicultura, e a produção de azeite passou a limitar-se a algumas áreas.
1100
Os olivais voltaram a desabrochar, principalmente na Itália, graças a uma classe de comerciantes que descobriu como a venda de azeite nos mercados locais era um importante fonte de lucro. Naquele período a Toscana se afirmou como uma região famosa pela olivicultura.
1400
Durante o Renascimento a Itália passou a ser o maior produtor de azeite do mundo, conhecida pelos seus azeites de sabor rico e intenso que adornavam as mesas das cortes e da nobreza da inteira Europa.
1800
O azeite foi comercialmente lançado nas Américas quando os imigrantes de origem italiana e grega começaram a pedir a importação da Europa.
2000
O azeite continua a adquirir popularidade crescente como ingrediente importante na dieta cotidiana de praticamente todas as culturas, graças aos seus comprovados benefícios para a saúde e às suas propriedades nutricionais.
Em consequência deste sucesso constante, hoje em dia no mundo inteiro existem mais de 800 milhões de oliveiras, número que aumenta a cada dia!

buscar em todo o site